Sindicato das Empresas de Processamento de Dados e Informática de Joinville

Sala de Imprensa

Federação Nacional das Empresas de Informática lança campanha pela contribuição patronal

Iniciativa prevê mobilizar empresários do setor de TI de todo o Brasil

Atualizado em 05/11/2018 12h59

Na próxima segunda-feira (05/02), a FENAINFO  Federação Nacional das Empresas de Informática, lança a campanha pela contribuição das empresas. Em parceria com os sindicatos patronais e empresas associadas, a entidade veiculará vídeos e peças informativas para mobilizar empresários em todo o Brasil. A campanha será protagonizada pelos presidentes de sindicatos patronais do setor de TI.

O Brasil é um país de grandes dimensões, por isso muitos empreendedores pensam em escalabilidade. Porém o custo da logística brasileira, da complexidade legislativa, tributária e trabalhista demandam um forte engajamento em torno de uma entidade que os represente com a mesma dimensão e força?, ressalta Donald dos Reis, diretor de marketing da Fenainfo e idealizador da campanha.

Sobretudo, nesse período conturbado, com crises nas esferas política e econômica, um momento repleto de incertezas, é que percebemos o quão importante é estarmos organizados e formarmos frentes. Juntamente com os sindicatos filiados, e outras instituições parceiras, temos mobilizado apoio político e temos nos colocado com firmeza a favor de reformas estruturais que signifiquem menor carga tributária, menos burocracia e redução dos encargos trabalhistas?, reforça Edgar Serrano, presidente da Federação.

Em 2017, a Fenainfo criou uma Comissão para conduzir as negociações das Convenções Coletivas Trabalhistas nos estados onde não há representação patronal. Além das negociações em si, mapeamos e entramos em contato com empresários, nos reunimos com lideranças locais, com representantes de conselhos regionais de Contabilidade, a fim de buscar apoio para integrar as empresas, e mostrar o que estamos fazendo em termos de mobilização política no sentido de garantir incentivos para o setor e, claro, mostrar o quão fundamental é a contribuição das empresas para que esse trabalho se mantenha?, conta Gerino Xavier, Secretário Geral da entidade, que é diretor da BisaWeb e presidente do Sindicato das Empresas de Processamento de Dados de Pernambuco..

Os indicadores econômicos atuais mostram que, mesmo para as empresas de TI, o contexto não é favorável. O setor tem sofrido com restrições e com ameaças de aumento da carga tributária que colocam em risco a capacidade de investimento das empresas.

Temos representado nosso setor na defesa da competitividade, na busca pelo desenvolvimento no contexto da economia globalizada. Atuamos em várias frentes, isoladamente e em conjunto com outras entidades, com o objetivo de impedir que essas ameaças se concretizem e que o ambiente se torne mais
hostil do que já está para o desenvolvimento tecnológico?, explica Edgar Serrano, ao ressaltar que só existe empresa forte se existir uma organização forte para representá-la.

Serrano, que é sócio-diretor da DBC Company, lembra que para bem representar o setor e viabilizar esse trabalho a entidade necessita de recursos para arcar com despesas de administração, assessoria jurídica, tributária, fiscal entre outros. ?Estes recursos são provenientes da contribuição das empresas?.

A força política do setor reside na capacidade de união dos empresários. Somente por meio de entidades é que se tem voz e condições de desenvolver iniciativas. É por isso que não podemos abrir mão desse exercício cidadão empresarial?, defende Donald Reis, que também é vice-presidente do SEPRORGS e sócio-diretor da Qualitor.

Voltar para
página anterior